Dia de Luta da Pessoa com Deficiência: Escolinha do CPB promove inclusão social entre jovens

qua, 21 set 2022 09:30:58 -03:00



Júlia, à direita, com a medalha de ouro no peito após vencer a Copa Loterias Caixa de judô | Foto:  Renan Cacioli/CBDV

Júlia, à direita, com a medalha de ouro no peito após vencer a Copa Loterias Caixa de judô | Foto: Renan Cacioli/CBDV

Hoje, 21 de setembro, é celebrado o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência no Brasil. A data integra o calendário brasileiro desde 2005 e tem o objetivo de mostrar a importância do desenvolvimento de meios que incluam PCDs na sociedade. 

E um dos meios para essa inclusão é o esporte, como revelou Júlia Souza dos Santos, 15, aluna de judô da Escola Paralímpica de Esportes do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Conhecido também como Escolinha, o projeto tem o objetivo de iniciar crianças e jovens, de 8 a 17 anos, em 13 modalidades paralímpicas no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo (veja a lista completa abaixo). 

“Depois que comecei a praticar esportes na Escolinha, eu fiz mais amigos e ganhei mais autonomia para fazer as minhas coisas. Agora, tenho mais facilidade para identificar onde estão as coisas”, disse Júlia, que nasceu com deficiência visual e começou no projeto nas aulas de goalball, em 2018. 

No ano passado, a jovem migrou para o judô e, no último dia 11 de setembro, já conquistou uma medalha de ouro em sua primeira competição na modalidade. Sob as cores do São Paulo Futebol Clube e representando a Escolinha do CPB, ela foi campeã na categoria peso médio, classe Sênior, na Copa Loterias Caixa de judô. 

A competição, que é idealizada e organizada pela Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), tem o objetivo de captar novos talentos da modalidade. Nessa última edição, a Escola Paralímpica de Esportes do CPB ficou com o título ao faturar sete ouros e um bronze.

Acompanhar Júlia no lugar mais alto do pódio foi um motivo de orgulho para a mãe Meire Souza dos Santos. No entanto, mais do que os resultados esportivos, Meire celebra a evolução da filha na escola. 

“Ela tem muitos trabalhos que precisam ser apresentados para todos da sala. Antes, a Júlia tinha muita vergonha. Hoje, está bem melhor”, revelou a mãe, que compartilha da mesma opinião de Ana Gomes, professora da jovem na Escolinha. “Era uma menina muito tímida, que, aos poucos, têm se soltado nas aulas de judô”, completou Ana. 

As vantagens da prática esportiva são tantas na vida da sua filha que Meire não mede esforços para levá-la duas vezes por semana ao CT Paralímpico, mesmo morando na cidade de Embu das Artes, a 30 quilômetros do Jabaquara, bairro da zona sul paulistana onde está localizado o Centro de Treinamento. 

“As pessoas com deficiências são capazes de fazer qualquer coisa. Basta que a gente corra atrás e dê aquele empurrãozinho. Não importa onde seja e o que seja. Se for para o bem dela, eu vou. E a melhor coisa que aconteceu em nossas vidas foi a Escolinha. Eu, que acompanho a Júlia para cima e para baixo e fico 24 horas por dia com ela, sinto muito a diferença”, concluiu a mãe, que junto à sua filha, gasta duas horas para ir ao CT e outras duas para voltar à casa, de transporte público. 

Escola Paralímpica de Esportes
A Escola é realizada pelo CPB desde 2018 e, atualmente, são oferecidas aulas em 13 modalidades: atletismo, badminton, bocha, esgrima em cadeira de rodas, futebol de cegos, goalball, halterofilismo, judô, natação, tênis de mesa, tiro com arco, triatlo e vôlei sentado. Todas compõem o atual programa dos Jogos Paralímpicos, estabelecido pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês). Todos os serviços são oferecidos gratuitamente.  

Os alunos são atendidos dois dias por semana, divididos em turmas às segundas e quartas-feiras e terças e quintas-feiras, em dois horários: das 14h às 15h30 e das 16h às 17h30.

As crianças recebem uniforme e lanche durante a estadia no CT Paralímpico. Também é disponibilizado transporte em locais estratégicos da Grande São Paulo. Todos os serviços são oferecidos gratuitamente. Para mais informações sobre o projeto, entrar em contato pelo e-mail: escolaparalimpica@cpb.org.br.

FICHA DE INSCRIÇÃO

Patrocínios
O judô é uma modalidade patrocinada pelas Loterias Caixa.
A Escola Paralímpica de Esporte conta com o patrocínio do Grupo Volvo via Lei de Incentivo ao Esporte do Governo Federal.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial