Brasil termina na liderança do quadro de medalhas do Grand Prix de atletismo paralímpico em Marrakech

sáb, 17 set 2022 18:30:36 -03:00



A potiguar Jardênia Félix Barbosa posa para foto com medalha em Marrakech | Foto: Divulgação / CPB

A potiguar Jardênia Félix Barbosa posa para foto com medalha em Marrakech | Foto: Divulgação / CPB

O Brasil encerrou a sua participação no Grand Prix de atletismo paralímpico em Marrakech, no Marrocos, neste sábado, 17, na liderança do quadro geral de medalhas da competição. Ao todo, a Seleção Brasileira da modalidade conquistou 36 medalhas, sendo 21 ouros, 13 pratas e dois bronzes e ficou à frente de 39 países que participaram do evento.

O último dia de disputas foi marcado pela conquista da medalha de ouro da paranaense Lorena Spoladore no salto em distância pela classe T11 (para atletas com deficiência visual). O primeiro lugar veio com a marca de 4,48 m. Esse foi o terceiro pódio da atleta na competição, já que havia vencido a prova dos 200 m e ficado com a prata nos 100 m.

Já pela prova dos 400 m, o Brasil conquistou três medalhas de prata no dia. Pela classe T47 (para amputados de braço), o carioca Washington Júnior cruzou a linha de chegada somente atrás do marroquino Ayoub Sadni e ficou com a prata, com o tempo de 52s41.

Pela classe T11 (para atletas cegos), o capixaba Daniel Mendes também completou o percurso na segunda colocação, com a marca de 51s49. Entre as mulheres, a potiguar Jardênia Félix Barbosa também ficou no segundo lugar ao fazer o tempo de 59s28 em uma prova agrupada das classes T13/20/37 (para atletas com deficiência intelectual). Esse foi o segundo pódio dela após a medalha de ouro no salto em distância nesta sexta-feira, 16.

Nas disputas de campo, o Brasil também conquistou quatro medalhas no dia. O campeão paralímpico no lançamento de disco Claudiney Batista obteve a prata no arremesso de peso em uma prova agrupada das classes F55/56 (para cadeirantes). Atingiu 11,65 m. Na mesma prova, o também campeão paralímpico na modalidade Wallace dos Santos ficou com o bronze ao arremessar em 11,23 m. 

Entre as mulheres, a mineira Izabela Campos alcançou 10,24 m também no arremesso de peso e assegurou a medalha de bronze para o país. Ela disputou em uma prova agrupada das classes F11/12/20 (para atletas com deficiência visual). 

Já o paulista Thiago Paulino, um dia após levar o ouro no arremesso de peso pela classe F57 (cadeirantes), obteve a medalha de prata no lançamento de disco, com a marca de 46,02 m. 
   
Patrocínios 
O atletismo é uma modalidade patrocinada pelas Loterias Caixa e pela Braskem. 

Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível 
Os atletas Washington Júnior, Jardênia Félix Barbosa, Claudiney Batista, Wallace dos Santos, Izabela Campos e Thiago Paulino são integrantes do Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível, programa de patrocínio individual da Loterias Caixa que beneficia 91 atletas.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial