Medalhista do Parapan de Lima 2019 busca pódio inédito na Copa América de basquete em cadeira de rodas

ter, 12 jul 2022 17:00:49 -03:00



Gabriela Oliveira durante jogo pelo Parapan de Lima 2019 | Foto: Washington Alves / CPB

Gabriela Oliveira durante jogo pelo Parapan de Lima 2019 | Foto: Washington Alves / CPB

Medalhista de bronze nos Jogos Parapan-americanos de Lima 2019, a ala armadora Gabriela Oliveira vai ser uma das atletas estreantes na Copa América de basquete em cadeira de rodas, que acontecerá entre os dias 13 e 18 de julho, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. O Brasil será representado por suas Seleções masculina e feminina. Além das equipes brasileiras, outros sete países femininos e seis masculinos vão participar do torneio.

Gabi, como é conhecida, apesar de já ser medalhista pela Seleção feminina em outras competições internacionais, vai disputar seu primeiro campeonato oficial no CT Paralímpico com a camisa verde amarela. Sua primeira convocação para a Seleção foi em 2019.

A competição vale vagas para o Mundial da modalidade em Dubai, que acontecerá de 16 a 27 de novembro de 2022, em Dubai, Emirados Árabes Unidos. Os homens disputarão quatro vagas, enquanto as mulheres irão competir por três.

"Essa minha estreia vai ser ainda mais especial por ser em casa, no CT Paralímpico. Acaba sendo essa emoção maior. Sou moradora de São Paulo e a família, os amigos, e até o pessoal do clube onde treino vão assistir aos jogos. Está sendo muito especial e vai ser muito emocionante. A gente tem uma responsabilidade maior, mas estamos com um grupo muito forte e temos trabalhado muito bem. Temos grandes chances de fazer um bom campeonato, ficar no pódio e conseguir um lugar no Mundial [da modalidade]", afirmou Gabi, que tem má-formação congênita nas pernas.

A ala armadora começou no basquete aos quatro anos, por indicação médica, na Associação Desportiva para Deficientes (ADD), em São Paulo. Aos 15 anos, recebeu convite para jogar o Campeonato Brasileiro feminino da modalidade.

Depois, foi destaque como melhor atleta em sua classificação (classe 3.0) e como melhor atleta sub-21 do Brasil jogando pelo clube All Star Rodas, de Belém (PA). Atualmente, atua pela Associação Deficiência Superando Limites (ADESUL), de Fortaleza (CE).  

"Eu ainda não conheci nenhuma estrutura igual ou melhor que o CT Paralímpico Brasileiro. É o melhor espaço que a gente poderia ter para um campeonato tão importante e dessa grandeza. Geralmente, em outros países, jogamos em um local e ficamos hospedados em outro e, com isso, nos desgastamos com deslocamento, restaurantes, e acabamos perdendo tempo. Já no CT, ao ficarmos no residencial do local, próximos à quadra, é o mais indicado para os atletas", avaliou.

"Nossas principais rivais são Canadá, EUA e Argentina. Mas temos treinado, e nos preparamos para enfrentá-las fazendo um jogo cada vez melhor. Cada competição é um desafio diferente. Estamos com um friozinho na barriga, mas confiantes”, finaziou Gabi.

A Seleção Brasileira feminina estreia nesta quarta-feira, 13, às 15h, contra o Canadá. Já a equipe nacional masculina, no mesmo dia, às 19h, também joga diante dos canadenses.

Confira os jogos da Seleção Brasileira pela primeira fase da Copa América:

Masculino

Quarta, 13
19h BRASIL x Canadá

Sexta, 15
17h Argentina x BRASIL

Feminino

Quarta, 13
15h BRASIL x Canadá

Quinta, 14
15h BRASIL x Bolívia

Sexta, 15
15h Guatemala x BRASIL   

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial