Atletas dos Centros de Referência do CPB são campeões no 1º dia da Segunda Fase Nacional do Circuito de halterofilismo

sáb, 02 jul 2022 18:36:44 -03:00



Ezequiel Correa realiza levantamento de peso no CT Paralímpico | Foto: Alexandre Carvalho / CPB

Ezequiel Correa realiza levantamento de peso no CT Paralímpico | Foto: Alexandre Carvalho / CPB

Atletas que tiveram origem nos Centros de Referência do CPB venceram a maioria das categorias masculinas neste sábado, 2, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, pelo 1º dia da Segunda Fase Nacional do Circuito de halterofilismo. As disputas femininas acontecem neste domingo, 3, a partir das 9h.

O Projeto dos Centros de Referência é idealizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e tem como objetivo levar a iniciação esportiva e o alto rendimento às cidades brasileiras para fortalecer o desenvolvimento do esporte paralímpico nacional.

Das 10 categorias realizadas neste dia, sete foram vencidas por halterofilistas relacionados ao projeto do CPB – e somente dois deles não fazem mais parte: o manauara Lucas Manoel dos Santos, que levantou 135 kg e foi campeão entre os participantes até 49 kg pela Associação de Deficientes Físicos do Amazonas (Adefa), e o baiano Evânio Rodrigues, o melhor entre os atletas até 88 kg ao erguer 202 kg e que atualmente compete pelo Clube Condição Futuro (CCF), de Sergipe.   

"É de grande importância um projeto como esse, é o que proporciona ao atleta ter um treinamento de qualidade, com excelentes equipamentos. Não é à toa que em Natal tem surgido bons halterofilistas nos últimos anos. Poder contar com um Centro de Referência na nossa região é muito bom para atigirmos grandes resultados", afirmou o potiguar João França, campeão na categoria até 54 kg ao levantar 158 kg. 

Já o catarinense Ezequiel Correa, um dos representantes do Centro de Referência Aesa/Itu, de São Paulo, foi um dos recordistas brasileiros do dia na competição ao erguer 184 kg e superar a própria marca de 182 kg de 2019. O atleta com hemimelia fibular (má-formação congênita na fíbula) ficou com a medalha de ouro entre os atletas até 72 kg. José Arimateia Lima também bateu o recorde nacional até 97 kg, com 197 kg levantados, um quilo a mais do que a melhor marca anterior, de Evânio Rodrigues, em 2019. 

"Esse projeto tem ajudado muito e dado visibilidade para a gente. Cada vez mais, novos atletas se aproximam da gente para conhecer a modalidade e participar de um treino experimental ou até mesmo continuar na carreira. É muito importante para que novos talentos apareçam no halterofilismo", apontou Mateus Silva, do Praia/CDDU/Uberlândia, que frequenta o Centro de Referência do CPB em Uberlândia e sagrou-se campeão na categoria até 107 kg com 211 kg erguidos.  

Entre os homens até 80 kg, o paraibano Ailton de Souza ficou com o primeiro lugar ao levatnar 180 kg, enquanto Jonasson Lacerda, de Aracaju, alcançou 200 kg na sua segunda tentativa e ficou com a medalha de ouro na pesagem acima dos 107 kg. Já o paulista Bruno Carra teve 163 kg como a melhor marca entre os participantes até 59 kg.

"Os Centros de Referência dão toda a base para a nossa modalidade. Os grandes atletas do país vêm do nosso projeto. Os Centros de Referência, hoje, são o nosso sutento em relação à performance, treinamento e até mesmo do crescimento do nosso esporte no Brasil", completou Valdecir Lopes, técnico-chefe da Seleção Brasileira.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial