A um dia do fim do Mundial de natação paralímpica, estreantes do Brasil conquistaram mais da metade das medalhas do país na Ilha da Madeira

sex, 17 jun 2022 18:51:56 -03:00



Time brasileiro do revezamento 49 pontos celebra vitória na última prova do dia | Foto: Ale Cabral/CPB

Time brasileiro do revezamento 49 pontos celebra vitória na última prova do dia | Foto: Ale Cabral/CPB

Os nadadores estreantes da delegação brasileira no Campeonato Mundial de natação paralímpica, na Ilha da Madeira, assumiram a função de protagonistas na histórica campanha do Brasil na competição. O evento, que é disputado desde o domingo, 12, e se encerrará na tarde deste sábado, 18, deu palco para que o Brasil pudesse celebrar 53% de suas medalhas conquistadas por novatos na competição.

Após o penúltimo dia de provas, nesta sexta-feira, 17, no Complexo de Piscinas Olímpicas, em Funchal, o Brasil ocupa a terceira colocação no quadro de medalhas, com 17 ouros, nove pratas e 21 bronzes, totalizando 47 medalhas. A liderança permanece com a Itália, com 22 ouros, 18 pratas e 13 bronzes (total de 53). Na vice-liderança estão os Estados Unidos, com 18 ouros, sete pratas e seis bronzes, 31 no total. A Grã-Bretanha é a única nação que pode tirar o Brasil do terceiro lugar, visto que soma 16 ouros, 10 pratas e sete bronzes.

CONHEÇA O PERFIL DE TODOS OS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE NATAÇÃO NO MUNDIAL DA ILHA DA MADEIRA

O Brasil chegará ao dia derradeiro no terceiro posto graças ao ouro conquistado pelo revezamento 4x100m livre 49 pontos, para atletas com deficiência visual. Além desta conquista, o país também foi ao topo do pódio nesta sexta com o mineiro Gabriel Araújo, o Gabrielzinho, nos 50m costas. O dia também reservou uma prata para José Ronaldo da Silva, nos 50m costas da classe S1, e três bronzes: revezamento 4x100m medley S14 (deficiência intelectual), Mariana Gesteira nos 100m costas (S9) e Phelipe Rodrigues nos 100m livre (S10). Com exceção de Phelipe, os demais medalhistas em provas individuais desta sexta debutaram na Ilha da Madeira em Campeonatos Mundiais.

Já nos times dos revezamentos do dia, três dos oito que caíram na água nunca haviam estado neste tipo de evento. Um deles foi o paulista Gabriel Bandeira, que, além do pódio do dia, já havia conquistado duas medalhas de ouro (nos 200m livre e 200m medley), uma prata (100m costas) e um bronze em outro revezamento – 4x100m livre misto S14. Neste sábado, faz a sua despedida do Mundial ao nadar a sua prova preferida, os 100m borboleta, na qual é o atual recordista mundial, com o tempo de 54s18.

Dos 29 nadadores na delegação do país no arquipélago português, 13 deles eram estreantes em Campeonatos Mundiais. E, dentro deste grupo, há os novatos já experimentados e laureados nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e aqueles que nunca tiveram a oportunidade de compor uma seleção brasileira fora do país em evento de tamanha envergadura como um Mundial.

No primeiro grupo, estão atletas do naipe de Gabriel Araújo, dono de dois ouros em Tóquio, e que nadou sua quarta (e última prova) na Ilha da Madeira nesta sexta. Ele concluiu os 50m costas em 53s24, novo recorde das Américas. “Terceira vez, terceiro ouro. Prova muito difícil, consegui fazer tudo perfeito, encaixar o nado, mas é o que eu sempre digo, quando eu estou na frente, não deixo ninguém me pegar mais. Fico muito feliz com essa prova, e fecho o Mundial de forma perfeita. Falo que foi perfeito para mim esse Mundial”, celebrou Gabrielzinho, que voltará para casa com ouro também nos 200m livre e nos 100m costas. Gabriel nunca havia disputado um Mundial antes, apesar do sucesso nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Outro estreante que subiu ao ponto mais alto do pódio nesta sexta-feira foi o carioca Douglas Matera. Ele foi o segundo a saltar na água no revezamento campeão do 4x100m livre 49 pontos. O Brasil foi medalha de prata nos Jogos de Tóquio nesta prova. Na Ilha da Madeira, o time também contou com Carol Santiago, que conquistou seu sexto ouro em sete provas neste Mundial, Lucilene Sousa e Matheus Rheine, que substituiu Wendel Belarmino, que estava em Tóquio. O Brasil cumpriu a distância em 3min54s26, com ampla vantagem sobre a Espanha, segunda colocada (3min59s02). A Grã-Bretanha ficou com o bronze (4min08s60).

Confira abaixo, o resultado dos brasileiros nas finais desta sexta, 17:

100 m costas (S11)
7° Wendell Belarmino

50 m costas (S2)
OURO Gabriel Araújo - Recorde das Américas

50 m costas (S1)
PRATA José Ronaldo

100 m costas (S9)
BRONZE Mariana Gesteira
5° Lucas Mozela

100 m livre (S10)
BRONZE Phelipe Rodrigues

4x100 m medley misto (S14)
BRONZE Ana Karolina, João Brutos, Gabriel Bandeira e Débora Carneiro

4x100 livre misto 49 pontos
OURO Matheus Rheine, Douglas Matera, Lucilene Sousa e Carol Santiago

Confira abaixo, a programação dos brasileiros nas eliminatórias deste sábado,18 (horários de Brasília):

400 m livre (S11) – 5h32
- Matheus Rheine

200 m livre (S4) – 5h46
- Patrícia dos Santos
- Lídia Cruz

100 m livre (S5) - 6h21
- Joana Neves

100 m livre (S3) – 6h39
- Larissa Rodrigues
- Maiara Barreto

100 m livre (S1-S3) – 6h46
- José Ronaldo
- Bruno Becker

50 m borboleta (S6) – 6h58
- Laila Abate

50 m borboleta (S6) – 7h02
-Talisson Glock

50 m livre (S9) - 7h06
- Mariana Gesteira

100 m borboleta (S14) – 7h12
- Ana Karolina Soares

100 m borboleta (S14) – 7h19
- Gabriel Bandeira
- João Brutos

Revezamento 4 x 100 m livre misto 34 pontos - 7h26
- Mariana Gesteira, Cecília Araújo, Daniel Mendes e Phelipe Rodrigues

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial