Petrúcio Ferreira bate recorde mundial nos 100 m durante Desafio CPB/CBAt

qui, 31 mar 2022 12:05:50 -03:00



Petrúcio celebra recorde mundial no CT Paralímpico | Foto: Marcello Zambrana/CPB

Petrúcio celebra recorde mundial no CT Paralímpico | Foto: Marcello Zambrana/CPB

O velocista paraibano Petrúcio Ferreira, 25, bateu o recorde mundial nos 100 m da classe T47 (atletas com deficiência nos membros superiores) durante o Desafio de atletismo CPB/CBAt. Na manhã desta quinta-feira, 31, o atleta fez o percurso em 10s29 na pista do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. 

O recorde anterior também era dele. Em 2019, no Mundial de Dubai, o paraibano realizou a prova em 10s42. "Melhorar o tempo é sempre minha meta. Desde os Jogos de Tóquio 2020, nos quais conquistei a medalha de ouro e bati o recorde paralímpico da prova, eu não parei de treinar. Fiz todo o trabalho multidisciplinar para me manter em alto nível. Estou muito feliz com o resultado", disse Petrúcio, que participa do evento pelo clube Pinheiros, da capital paulista. 

Além de bater o seu próprio recorde mundial, o paraibano reforça o título de atleta paralímpico mais rápido do mundo, ou seja, o dono do melhor tempo nos 100 m, independentemente da classificação esportiva. Vale destacar que o tempo de 10s42 já o colocava neste posto. 

O Desafio de atletismo CPB/CBAt é composto por provas de pista e campo, com disputas entre atletas com e sem deficiências. Em sua prova, Petrúcio chegou em primeiro lugar, inclusive superando esportistas olímpicos, como Derick Souza, também do Pinheiros e campeão mundial no revezamento 4 x 100 m. Derick terminou a disputa nesta quinta em 10s35. 

"Os atletas sem deficiência puxam a gente. Eu fico motivado para superá-los. No meu dicionário, não existem as palavras impossível e difícil. Só existe a frase: 'Eu posso, eu quero e eu consigo'. Depois deste tempo de 10s29, quem sabe eu consiga chegar à marca de 10s10? Não é uma promessa, mas tenho este desejo", concluiu o velocista, que, aos dois anos de idade, perdeu parte do braço esquerdo em um acidente com uma máquina de moer capim.

O Desafio CPB/CBAt começou nesta quinta-feira e termina no sábado, 2 de abril. O evento tem a finalidade de difundir e desenvolver a prática da modalidade entre atletas paralímpicos e olímpicos do país. Dirigidas e organizadas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), as competições serão divididas em sete etapas durante todo o ano de 2022.

Além de receber a primeira nesta semana, o CT Paralímpico também sediará em 21 de maio, em dezembro e uma terceira etapa, ainda sem data marcada. As outras ocorrerão em Fortaleza (setembro), Brasília (outubro) e Porto Alegre (novembro).

Assim como Petrúcio, outros medalhistas nos Jogos de Tóquio participaram ou vão participar do evento até o dia 2 de abril, como Alessandro Silva, Beth Gomes, Raíssa Machado, Julyana Silva, Vinícius Rodrigues, Thiago Paulino, Jerusa Geber, Washington Júnior, Mateus Evangelista, Thomaz Moraes, Ricardo Mendonça, entre outros. 

CONFIRA TODOS OS RESULTADOS DO DESAFIO CPB/CBAT - 31/03/2022

Serviço
Desafio de atletismo CPB/CBAt
Dias e horário: 31 de março, 1º e 2 de abril - a partir das 8h30
Local: Centro de Treinamento Paralímpico
Endereço: Rodovia dos Imigrantes KM 11,5 sem número - Vila Guarani - São Paulo.

Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível 
O atleta Petrúcio Ferreira é integrante do Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível, programa de patrocínio individual da Loterias Caixa que beneficia 70 atletas e sete atletas-guia.

Patrocínios
O atletismo tem o patrocínio da Braskem e das Loterias Caixa.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial