Atualização: Estado de São Paulo mantém hegemonia e é campeão das Paralimpíadas Escolares 2021

sex, 26 nov 2021 19:51:29 -03:00



Delegação de São Paulo posa para foto com vice-presidente do CPB, Yohansson Nascimento, durante cerimônia de encerramento das Paralimpíadas Escolares | Foto: Ale Cabral/CPB

Delegação de São Paulo posa para foto com vice-presidente do CPB, Yohansson Nascimento, durante cerimônia de encerramento das Paralimpíadas Escolares | Foto: Ale Cabral/CPB

Nota atualizada às 13h52 de 30 de novembro de 2021


O Estado de São Paulo foi anunciado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) como o campeão da 14ª edição das Paralimpíadas Escolares, durante cerimônia de encerramento realizada na noite desta sexta-feira, 26, no Hotel Holiday Inn, em São Paulo. A solenidade foi transmitida pelo Facebook e YouTube do CPB. 

São Paulo venceu com 599 pontos e ficou à frente do Rio de Janeiro, que terminou em segundo lugar, com 335,5 pontos, seguido do Pará, em terceiro, com 323,5 pontos. O estado de São Paulo já havia vencido a edição de 2019 e era o maior campeão da competição, agora com nove títulos (2006, 2009, 2011, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2021). Em 2020, o evento não foi realizado devido à pandemia de Covid-19.

O evento contou com a presença do vice-presidente do CPB, Yohansson Nascimento, do superintendente do CPB, Nelson Hervey, do diretor de Desenvolvimento Esportivo do CPB, Ramon Pereira, da secretária de Estado dos Direitos de Pessoa com Deficiência, Célia Leão, do presidente da Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE), Artur Cruz, do presidente do Conselho Deliberativo da ANDE, Ivaldo Brandão, da superintendente de paradesporto e fomento esportivo de Goiás, Roberta Carvalho, da superintendente de Esportes de Pernambuco, Adriana Salazar, entre outros, além de atletas e representantes das delegações participantes. 

"Sei que é um orgulho muito grande vocês chegarem em casa e falarem ‘mãe, eu sou um atleta’. Em 2024, eu quero estar junto com vocês lá em Paris, ou em Los Angeles 2028. Ali, onde aconteceram as competições, não é um simples Centro de Treinamento, é uma fábrica de medalhas, de realizações de sonhos. Podem contar com o CPB para chegarem ao máximo onde quiserem. Espero que esta semana não saia nunca da memória de vocês", discursou Yohansson Nascimento.

"O poder do esporte em incluir é muito grande. Vocês já subiram no pódio da vida. Isso é o mais importante. Me sinto completa ao perceber que o olhar da sociedade está mudando e vocês, atletas, são esse caminho", completou a secretária Célia Leão.

Durante a festividade, também foram feitas algumas homenagens aos jovens atletas e entregue um troféu simbólico de confraternização para a delegação do Estado do Mato Grosso do Sul.   

"Foram as minhas primeiras Paralimpíadas Escolares e é uma honra fazer parte dessa delegação de São Paulo que nos dá orgulho. Com certeza, vocês vão ouvir falar muito dos atletas que compõem a nossa equipe. Agradecemos aos nossos técnicos também que são muitos importantes neste processo”, afirmou a atleta Maria Eduarda, que recebeu o troféu pelo Estado de São Paulo e que competiu nas provas de velocidade do atletismo pela classe T62 (para deficiência no membros inferiores que competem com prótese). 

O projeto, voltado para jovens com deficiência em idade escolar, de 12 a 17 anos, gerou muita integração e até amizades entre os 900 atletas de todas as regiões do país e que participaram das competições. Foi uma ótima oportunidade de inclusão e para se fazer amizades, disseram algums atletas.

Já outros jovens de vários estados revelaram a inédita experiência do acolhimento e do pertencimento que vivenciaram entre uma competição e outra. Para muitos participantes, as Paralimpíadas Escolares foram importantes para a autoaceitação das suas próprias deficiências.

As Paralimpíadas Escolares tiveram a sua primeira edição em 2009. Desde 2016, a competição acontece nas dependências do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.  

O evento é considerado um grande celeiro de atletas, responsável por já revelar medalhistas paralímpicos como os velocistas Petrúcio Ferreira, Alan Fonteles, Verônica Hipólito, Washigton Nascimento, o jogador de goalball Leomon Moreno, os nadadores Talisson Glock, Cecília Araújo, Mariana Gesteira, e os jogadores de futebol de 5 Tiago Silva e Jardiel Soares.

O departamento de Desenvolvimento Esportivo do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) refez a pontuação geral e, desta forma, a classificação geral foi alterada, sendo válida a presente no Boletim Final das Paralimpíadas Escolares conforme link abaixo.

CONFIRA O BOLETIM FINAL DAS PARALIMPÍADAS ESCOLARES 2021

O CPB lamenta o ocorrido e informa também que os envios dos troféus referentes a cada colocação já foram realizados assim que os novos resultados foram constatados.


Confira a classificação final das Paralimpíadas Escolares 2021:


1º São Paulo
2º Rio de Janeiro
3º Pará
4º Goiás 
5º Santa Catarina
6º Mato Grosso do Sul
7º Paraíba
8º Ceará
9º Distrito Federal
10º Rio Grande do Sul 
11º Paraná
12º Espírito Santo 
13º Sergipe
14º Pernambuco
15º Bahia
16º Rondônia
17º Tocantins
18º Amapá
19º Rio Grande do Norte
20º Mato Grosso
21º Amazonas
22º Maranhão 
23º Roraima 
24º Acre 
25º Piauí 

Confira os campeões por ano:

2009 - São Paulo
2010 - Rio de Janeiro
2011 - São Paulo
2012 - Rio de Janeiro
2013 - São Paulo
2014 - Santa Catarina
2015 - São Paulo
2016 - São Paulo
2017 - São Paulo
2018 - São Paulo
2019 - São Paulo 
2021 - São Paulo

Patrocínio  
As Paralimpíadas Escolares contam com o patrocínio da SKY  
 
Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)
 

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial