Os benefícios do esporte paralímpico no emocional da pessoa com deficiência

sex, 30 abr 2021 22:33:06 -03:00



O velocista Vinicius Rodrigues segura a bandeira do Brasil durante Mundial de atletismo em  Dubai 2019 | Foto: Ale Cabral/CPB.

O velocista Vinicius Rodrigues segura a bandeira do Brasil durante Mundial de atletismo em Dubai 2019 | Foto: Ale Cabral/CPB.

No processo de desenvolvimento pessoal, a prática de atividades físicas atua como um “acelerador” de emoções positivas, além de proporcionar bem-estar imediato e ser um catalisador do desenvolvimento pessoal e do autoconhecimento.

Um diferencial frequentemente mencionado por diversos atletas que ingressam no esporte paralímpico é o contato mais próximo com outras pessoas que têm realidades e experiências similares. "[O esporte me ajudou] Pela convivência com outros atletas com deficiência e também por poder competir nas mesmas condições", menciona o mesa-tenista Welder Camargo Knaf, em pesquisa online feita pelo CPB.

O esporte também permite que o atleta teste seus limites, desenvolva a disciplina e aumente a sua autonomia. Desta forma, o esporte é uma ferramenta que auxilia o atleta a exercer sua liberdade e ser visto como pessoa capaz, que busca seus objetivos e formas de alcançá-los. Para diversos atletas, esta mudança de perspectiva é positiva pela forma como as pessoas ao redor passam a tratar a pessoa com deficiência após o início da carreira de atleta de alto rendimento. "Muitos olhavam com pena e hoje, com o esporte, veem como inspiração porque eu consigo superar os limites impostos pela sociedade", relata Sônia Gouveia, do atletismo.

Algumas pessoas procuram o esporte como forma de se reabilitar mais rápido de algum trauma, acidente ou doença sofrida e, neste sentido, o esporte é primordial para o processo de recuperação física. Mas, além da recuperação do corpo, também existem diversos benefícios para o emocional, como relata o atleta Vinícius Rodrigues, que teve a perna esquerda amputada aos 19 anos. "[O esporte] Ajudou a recuperação ser mais rápida e a não ficar depressivo", relatou à pesquisa realizada pelo CPB.

Quando a pessoa pratica exercícios físicos, o corpo sofre uma descarga de substâncias benéficas ao organismo, como a endorfina, que é responsável por promover o bem-estar, aumentando a motivação, alegria e disposição. Ter este estímulo natural durante o período de isolamento social é um cuidado extremamente importante para a saúde do corpo e da mente.

Não importa onde serão realizados e nem o nível de dificuldade dos exercícios, o importante é não ficar parado. A fim de democratizar a prática do exercício físico para pessoas com deficiência, o Comitê Paralímpico Brasileiro criou em 2020 o Movimente-se, um programa que oferece aulas gratuitas para cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais que nunca praticaram qualquer atividade física ou ainda que não possuam orientação profissional. Para participar do Movimente-se, basta clicar aqui.

PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão