Dia do Goleiro: entenda a dupla função de quem defende o gol do futebol de 5

seg, 26 abr 2021 11:14:06 -03:00



Luan Lacerda durante treino da Seleção Brasileira | Foto: Alê Cabral / CPB

Luan Lacerda durante treino da Seleção Brasileira | Foto: Alê Cabral / CPB

No dia 26 de abril, é comemorado o dia do goleiro. Nesta data, vamos homenagear os atletas que defendem as traves para a Seleção Brasileira de futebol de 5. Nesta modalidade paralímpica também é função do goleiro orientar os jogadores que estão dentro da área de cobertura dele.

A Seleção Brasileira dessa modalidade é pentacampeã mundial e tetracampeão paralímpica e parapan-americana, A equipe verde-amarela foi a única a subir no degrau mais alto do pódio paralímpico desde que a modalidade foi inclusa no programa dos Jogos em Atenas 2004. Todas essas conquistas não seriam possíveis sem todos os goleiros que já passaram e estão na Seleção.

O futebol de 5 é uma modalidade praticada exclusivamente por pessoas com deficiência visual. O time é composto por cinco integrantes: quatro jogadores vendados e o goleiro, que tem a visão completa. A bola possui guizos internos que fazem barulho quando a bola é movimentada. A quadra mede 20m por 40m e tem bandas laterais para evitar que a bola saia. O tamanho do gol é de 3,66m por 2,14m.

LEIA MAIS
Entenda por que os atletas com deficiência visual precisam usar vendas nas competições


Para orientar os jogadores de futebol de 5, a quadra é dividida em três partes. No primeiro terço, onde fica o goleiro, é ele quem orienta os atletas da defesa. No centro, a responsabilidade é do técnico da equipe. Já no último terço, essa função é do chamador.   

“O goleiro é fundamental. Precisa ser muito bem escolhido, porque não só faz o trabalho de defender o gol, também é um orientador. Fazendo isso e com uma equipe de qualidade, ele raramente verá uma bola chegar ao gol. Uma defesa bem armada com jogadores que executam a função é uma defesa sólida. Então no futebol de 5 essa habilidade de orientar é o maior diferencial de um goleiro”, comentou Cássio Reis, ala defensivo e bicampeão paralímpico pela Seleção Brasileira.

O paraibano Luan Lacerda, 27 anos, joga futebol convencional desde os oito. Em 2013, conheceu o futebol de 5 e logo foi convocado para a Seleção. “Mudou minha vida pessoalmente e profissionalmente. Eu me apaixonei e quis crescer no esporte. Passei a me dedicar à modalidade, mas não abandonei o convencional, até porque é importante para manter o ritmo”, disse o goleiro.  

“Embaixo das traves, a experiência é semelhante [ao futebol convencional], mas o desafio de ser goleiro no futebol para cegos é que preciso ter mais reflexo e agilidade, pois os jogadores chegam muito perto para chutar no gol. Também tem a questão da orientação. A minha área é limitada, mas se eu ajudar bem a defesa, os jogadores vão fazer a parte deles e vai ter menos risco dos adversários chegarem ao gol”, explicou Luan, que foi campeão paralímpico nos Jogos Rio 2016.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão