Aos 13 anos, campeão das Paralímpiadas Escolares treina com a Seleção de tênis de mesa

sex, 24 jan 2020 15:05:59 -03:00



Foto: Alê Cabral

Foto: Alê Cabral

Parte dos integrantes da Seleção Brasileira de tênis de mesa utilizam o Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, para treinos e preparação para as principais competições da modalidade. Em 2020, há um rosto novo entre os atletas experientes. É o de Lucas Arabian, de 13 anos, que foi convidado pelo técnico Raphael Moreira para treinar junto com a Seleção da modalidade.

O mesa-tenista conheceu o esporte há três anos, à convite de um professor em sua escola. Com apenas um ano de idade, ele teve um tumor na medula, que o deixou paraplégico. Lucas participou das Paralímpiadas Escolares pelo Estado de São Paulo em 2018 e 2019 e, nas duas ocasiões, levou o ouro na equipe masculina e no individual. No fim de 2019, foi campeão no Campeonato Brasileiro adulto de tênis de mesa.

"Eu comecei a dar aula para o Lucas quando eu trabalhava em outra instituição, mas o projeto acabou. Ele foi treinando onde dava e o nível dele ficou um pouco melhor. A gente queria acompanhar ele de perto e o convidamos para treinar junto com a gente no período da manhã", comentou Raphael Moreira.

Lucas estudava de manhã mas sua família se mobilizou e procurou uma nova escola para que ele pudesse estudar no período da tarde e participar dos treinos com a Seleção.

+ Cinco coisas que você precisa saber no início da temporada paralímpica de tênis de mesa
+ Mesa-tenistas brasileiros estão no top 10 do ranking mundial da modalidade


"Ele gosta de treinar e de jogar, o que é muito importante, e aprende muito rápido. Qualquer coisa que a gente ensina, ele consegue replicar quase na mesma hora, sem muita explicação. Tenho certeza que o Lucas tem futuro no tênis de mesa porque ele ganhou o Brasileiro adulto competindo com pessoas que têm de carreira o que ele tem de idade."

Para o jovem atleta, mudar de escola não foi um grande problema. Suas aulas começaram nessa semana e ele afirma já ter feito amizades. O que vale mesmo é a experiência de treinar com a Seleção: "Está sendo muito importante para mim. O treino é muito diferente, mais pesado, e eu sinto que nesse mês já evoluí bastante."

E, apesar da pouca idade, os planos para o futuro já foram feitos. "A experiência de treinar com atletas profissionais que já foram para competições internacionais é uma inspiração muito grande para mim. Eu quero continuar treinando e me manter firme, para que o tênis de mesa seja minha profissão".

Nesta sexta-feira, 24, tem início o Aberto de tênis de mesa do Chile, na capital do país, Santiago. O Brasil será representado por seis brasileiros: Iranildo Espíndola (classe 2), Ecildo Lopes (classe 5), Israel Stroh (classe 7), Luiz Filipe Manara (classe 8), Lucas Carvalho (classe 9) e Carlos Carbinatti (classe 10).  

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão