Modalidades

Conteúdo com Modalidades Esportes de inverno .

Esportes de Inverno

Esqui cross-country: O esqui cross-country é aberto a atletas com deficiências físicas e visuais. Dependendo da limitação física, o esquiador pode usar um sit-ski (uma cadeira equipada com um par de esquis). Atletas com deficiência visual competem com um atleta-guia (classes B2 e B3 podem escolhar se competem com um guia ou não). Tanto as mulheres quanto os homens participam de provas de distâncias curtas (provas de velocidade), médias (5km a 20km) e longas (variando de 10 km a 20km), ou então no revezamento por equipe. Nos Jogos Paralímpicos de Inverno de 2018 terão ao todo 20 provas da modalidade, disputadas por homens e mulheres e divididas entre as categorias sitting (sentado), standing (de pé) e visually impaired (para deficientes visuais).

Snowboard: O snowboard paralímpico é uma versão adaptada do snowboard para atletas com deficiências. A classificação funcional dos atletas se dá de acordo com o comprometimento dos membros superiores (categoria SB-UL) e com o comprometimento dos membros inferiores (categorias SBLL-1, SBLL-2). A modalidade foi introduzida nos Jogos Paralímpicos de Inverno como uma prova do cronograma esportivo do esqui alpino em Sochi 2014. Em Pyeongchang 2018, porém, será disputada como um esporte único, e acontecerão ao todo 10 provas dessa modalidade, divididas entre snowboard cross (tomada de tempo individual, com posterior disputa head-to-head) e banked slalom (disputa de tempo individual).

Esqui alpino: O esqui alpino paralímpico foi desenvolvido quando os veteranos de guerra lesionados começaram a praticar o esporte após retornarem da Segunda Guerra Mundial. A modalidade apresenta as seguintes disciplinas: Downhill, Super-G, Super Combinado, Giant Slalom e Slalom.

Os atletas são classificados em categorias com Deficiência Visual (B1-B3), De Pé (LW1-LW9) e Sentado (LW10-LW12), que competem também em um sit-ski e utilizam estabilizadores em vez de bastões.As duas provas técnicas são Slalom e Slalom Gigante. Slalom possiu um percurso que exige curvas curtas e abruptas, uma vez que os gates possuem menor distância entre eles, enquanto o Giant Slalomapresenta maior distância entre os gates. . Super-G e Downhill, consideradas disciplinas de velocidade, têm menos mudanças de direção , uma vez que a distância entre os gates é maior. Por fim, Super Combinado é a disciplina que combina uma prova técnica com uma prova de velocidade, sendo uma descida de Slalom e uma de Downhill ou Super-G.

No caso dos atletas com deficiência visual, os atletas-guia iniciam a prova sem passar pelo portão inicial, o que permite que estejam um pouco a frente dos atletas, oferecendo instruções verbais para os mesmos.

Biatlo: é um esporte que combina esqui cross-country com tiro esportivo, duas disciplinas muito distintas. Os atletas são divididos nas categorias sentado, em pé e com deficiência visual. O esporte foi adotado como uma disciplina formal nos Jogos Paralímpicos de Inverno de Lillehammer, em 1994.

Hóquei no gelo: Hóquei no gelo é um esporte rápido, altamente físico e jogado por homens e mulheres com deficiência física nos membros inferiores do corpo. A modalidade segue as regras da Federação Internacional de Hóquei no Gelo (IIHF) com algumas modificações. Em vez de patins, os jogadores usam trenós com duas lâminas. Os jogadores usam duas varas, uma com ponta para empurrar e outra para o tiro. A disputa é entre duas equipes de 13 jogadores e dois goleiros.

Curling em cadeira de rodas: O curling em cadeira de rodas é uma versão adaptada do curling, um esporte popular de inverno, principalmente na Europa e na América do Norte. As equipes, formadas por homens e mulheres, precisam elaborar estratégias, que envolvam empurrar ou bloquear as pedras da outra equipe. Para isso, o atleta deve calcular o peso, a volta e o caminho que a pedra deve ser jogada.

Contato: Confederação Brasileira de Desportos na Neve - CBDN - Telefone: +55 (11) 3018 8011