Notícias

Equipe de tiro esportivo passa por avaliações e mira Mundial da Coreia do Sul

Por CPB
Mon, 12 Feb 2018 11:56:00 -0200
Marco Antônio Teixeira / CPB / MPIX Imagem

O calendário de 2018 do tiro esportivo está repleto de competições internacionais. O maior desafio da temporada será o Campeonato Mundial da modalidade, em Cheongju, na Coreia do Sul, entre os dias 30 de abril a 12 de maio. Para que esteja tudo em ordem, seis atiradores estiveram no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, para primeira fase de avaliação do ano.

Antes do Mundial, no entanto, haverá a Copa do Mundo de Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos, de 18 a 28 de março. Neste evento, os atletas que não conquistaram o índice mínimo classificatório (MQS, na sigla em inglês) para o Mundial terão mais uma chance de carimbarem o passaporte para a Coreia do Sul. 

No entanto, a coordenação brasileira da modalidade estabeleceu critérios mais rigorosos para selecionar quem representará o Brasil no Mundial. 

“Mesmo se estiver classificado, ninguém tem vaga garantida no Mundial. Ainda precisam mostrar trabalho para nós decidirmos quem vai”, explicou James Walter Lowry, coordenador de tiro esportivo do CPB.

O capixaba Bruno Stov Kiefer pratica tiro esportivo há três anos e foi convocado para a Seleção Brasileira pela primeira vez. “Eu quero conseguir quantos MQSs eu puder para eu poder ir à Coreia do Sul e, quando abrir vagas para os Jogos Paralímpicos, eu conquistar uma”, comentou Bruno, um dos atiradores que estará nos Emirados Árabes. 

O atleta teve paralisia cerebral ao nascer e compete com a carabina pela classe SH2 (precisa de suporte para a arma).

Há duas formas de se classificar para Jogos Paralímpicos pelo tiro esportivo: ficando entre os primeiros colocados nas competições válidas ou por um calculo baseado nos MQSs conquistados pelos atletas.

No segundo semestre de 2018, haverá a Copa do Mundo em Chatêauroux, na França, entre os dias 22 e 30 de setembro. No mesmo período, ocorrerá o Campeonato Sul-Americano em Santiago, no Chile, que será a segunda edição do evento. De acordo com James Lowry, devido à coincidência de datas, a Seleção será dividida. Os atletas que tiverem chance de ficar entre os 20 primeiros no ranking mundial irão à França e os demais ao Chile.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)