Após perder os braços por choque, nadador faz planos no Camping Escolar

Por CPB
Seg, 04 Fev 2019 15:22:00 -0200
Daniel Zappe/CPB/MPIX Imagem

O Camping Escolar Paralímpico 2019 reúne 23 nadadores no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, para vivenciarem períodos de treinos em alto rendimento. Um dos jovens atletas convidados é o paulista Samuel de Oliveira, que tem 13 anos e vem de Taboão da Serra. 

Samuel participou pela primeira vez das Paralimpíadas Escolares, no ano passado, conquistou cinco medalhas de ouro (50m costas, 50m peito, 50m borboleta, 50m e 100m livres) e foi destaque da modalidade. O nadador da classe S5 treina há apenas três anos. Durante a reabilitação na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), o indicaram para a natação. 

“É a minha primeira vez no Camping, e eu estou muito feliz por ter sido convidado, esse ano quero fazer mais competições, não só estudantis”, disse o caçula de três filhos.

A piscina do CT Paralímpico já é conhecida de Samuel, pois o atleta a utiliza para treinar com sua equipe, à noite. 

Aos nove anos, Samuel precisou amputar os dois braços, na altura do ombro, após levar uma descarga elétrica de 13 mil volts ao tentar tirar uma pipa de uma árvore com uma barra de ferro e ter encostado nos fios de alta tensão de um poste que estava próximo. 

Ao todo, 21 Estados e o Distrito Federal possuem representantes no Camping, projeto do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) que proporciona aos atletas uma rotina de um competidor de alto rendimento. 

As atividades no Camping Escolar seguem até a próxima terça-feira, 5, no CT Paralímpico. Nesta edição do projeto, há treinos das 11 modalidades disputadas na competição nacional. Durante os nove dias do Camping, os jovens passarão por testes e avaliações, treinos especializados para melhorar sua performance, além de palestras com técnicos do CPB.

Assessoria de comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


Notícias