Atletas ajustam desempenho no Circuito Loterias Caixa a 500 dias de Tóquio 2020

Por CPB
Sáb, 13 Abr 2019 15:07:00 -0300
Ale Cabral / CPB Imagem

No fim de semana em que se celebra a cabalística marca de 500 dias até a abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, Curitiba recebe mais de 600 atletas de cinco Estados para as disputas da etapa Regional Rio-Sul do Circuito Brasil Loterias Caixa, na Universidade Positivo, até o domingo, 14.

Esta é a última etapa regional do Circuito Brasil Loterias Caixa em 2019. Outras três foram realizadas: em São Paulo, no CT Paralímpico, em fevereiro, o estágio Norte-Nordeste, em João Pessoa (PB), em março, e a etapa Centro-Leste, em Uberlândia (MG), nos dias 30 e 31 de março. Os melhores de cada etapa garantem vaga na fase nacional, a partir de maio, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

Muitos competidores estão fazendo valer a oportunidade para aperfeiçoar o desempenho para garantir uma vaga no megaevento da capital japonesa no próximo ano.  Um deles é o velocista sul-mato-grossense Fabrício Ferreira, que defende a ADVIR, de Itajaí, Santa Catarina.

Ele disputou os 100m da classe T12 (baixa visão) na manhã deste sábado, 13, na pista da Universidade Positivo e igualou melhor marca pessoal da temporada 2018 ao cumprir a distância em 11s17. Há uma semana, ele cravara 11s18 no desafio CPB/CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), que reuniu atletas olímpicos e paralímpicos na pista e no campo de atletismo do CT Paralímpico, em São Paulo.

“Estou quase que totalmente recuperado de uma canelite que me deixou mal por sete meses, e agora estou me desenvolvendo cada vez porque faltando 500 dias para Tóquio pode dar a impressão de que falta muito, mas não é, a gente sabe que o tempo passa rápido, e é preciso aproveitar todas as oportunidades”, disse o velocista de 21 anos, que tem baixa visão em decorrência de toxoplasmose adquirida por sua mãe ainda durante a gravidez.

“Corri bem na semana passada, no CT Paralímpico, melhorei aqui nesta etapa do Circuito Brasil Loterias Caixa de Curitiba e daqui duas semanas, no Open Loterias Caixa espero estar ainda mais rápido”, previu Fabrício, citando o Open Internacional Loterias Caixa, promovido pelo CPB, de 25 a 27 de abril, no CT Paralímpico, em São Paulo.

Na natação, as gêmeas paranaenses Débora e Beatriz Borges Carneiro, da classe S14 (deficiência intelectual) estrearam na Regional Rio-Sul do Circuito Brasil Loterias Caixa nos 200m livre da classe. Essa foi a primeira das cinco provas que nadarão neste fim de semana na piscina da Universidade Positivo pela UMPM, de Maringá, Paraná. Débora fez 2min29s30 e Beatriz ficou 34 centésimos atrás.

“Quanto mais perto chega dos Jogos de Tóquio, mais ansiosa a gente fica”, disse Débora, vencedora da prova desta manhã. “O índice para representar o Brasil em Tóquio está fortíssimo, por isso é importante competir no Circuito Brasil Loterias Caixa, para avaliar o que posso fazer de melhor”, emendou a irmã Beatriz, medalhista de prata nos 100m peito no Mundial paralímpico na Cidade do México, em 2017.

A ansiedade das gêmeas do nado é compartilhada pela paulista Mariana D’Andrea, do halterofilismo. “Estou muito ansiosa e a preparação é intensa neste ciclo. Até lá, temos o Mundial do Cazaquistão, em julho, os Jogos Parapan-Americanos. Enfim, estou focada em buscar o meu melhor em cada uma dessas competições”, disse.

Apesar do nervosismo, Mariana (Aesa -Itu) quebrou o recorde brasileiro duas vezes e conquistou a medalha de ouro em sua categoria (até 67kg). O primeiro recorde veio na segunda tentativa, com 117kg, um a mais que a marca anterior, dela mesmo. Confiante, pediu 119kg na barra e não decepcionou. Ela ficou à frente de Viviane Silvestre (CFB) e Maria de Fátima de Castro (Adefa), que ficou com o bronze.

Na disputa de até 55kg, Rene Souza (Sadef-RN) também estabeleceu uma nova marca ao erguer 89kg. Ana Paula Marques (CFB) ficou com a prata após levantar 67kg. O bronze ficou com Maria Clementino da Silva (Sadef-RN) que colocou na barra 56kg.

Na segunda parte das disputas de natação, Isaac Lorenzo de Jesus (Aflodef), jovem que passou pelo Camping Escolar Paralímpico e está na Seleção Brasileira sub-18, venceu a prova dos 50m livre classe S7 com o tempo de 35s40.

Imprensa
Os profissionais de imprensa interessados em cobrir a fase Regional Rio-Sul do Circuito Brasil Loterias Caixa não precisam de credenciamento prévio. Bastará dirigirem-se à sala de imprensa da Universidade Positivo para identificação.
 
O Circuito
O Circuito Brasil Loterias Caixa é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e patrocinado pelas Loterias Caixa. Este é o mais importante evento paralímpico nacional de atletismo, halterofilismo e natação. Composto por quatro fases regionais e duas nacionais, tem como objetivo desenvolver as práticas desportivas em todos os municípios e estados brasileiros, além de melhorar o nível técnico das modalidades e dar oportunidades para atletas de elite e novos valores do esporte paralímpico do país. Em 2019, as disputas das fases nacionais serão separadas por modalidade - haverá ainda um Campeonato Brasileiro de cada esporte.

Patrocínios
O paratletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.
A natação e o halterofilismo têm patrocínio das Loterias Caixa.

Serviço
Data:
12, 13 e 14 de abril
Cidade: Curitiba
Local:  Universidade Positivo - R. Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 - Campo Comprido, Curitiba - PR

Programação*
Circuito Brasil Loterias Caixa de Atletismo, Natação e Halterofilismo - Regional Rio-Sul
Sábado (13/4) - 14h às 18h
Domingo (14/4) - 8h às 12h
*Sujeita a alterações

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


Notícias