Brasil dobra delegação feminina para o Mundial Paralímpico de Natação em Londres

sex, 06 set 2019 13:47:23 -03:00



Susana Schnarndorf no Parapan Lima 2019 | Foto: Saulo Cruz/Exemplus/CPB

Susana Schnarndorf no Parapan Lima 2019 | Foto: Saulo Cruz/Exemplus/CPB

O Mundial de Natação Paralímpica 2019 terá início nesta segunda-feira, 9, no Parque Olímpico Rainha Elizabeth, em Londres, Reino Unido. O Brasil terá um aumento exponencial na delegação feminina, com doze mulheres em ação: o dobro do número que representou o país na Cidade do México, em 2017, na última edição do evento. Ao todo, a Seleção é composta por 27 atletas de 12 estados e do Distrito Federal. 
 
A Seleção que competiu no México contava com 17 nadadores, entre eles seis atletas do gênero feminino. A equipe que participará da edição de Londres tem o dobro de mulheres e quatro delas estiveram no Mundial em 2017: a cearense Edênia Garcia (classe S3), a paranaense Beatriz Carneiro (S14) e as potiguares Joana Neves (S5) e Cecília Araújo (S8). Esse aumento está alinhado com o planejamento estratégico do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que almeja a maior participação feminina possível nas delegações.
 
Há dois anos, o Brasil terminou na quarta colocação no quadro-geral, com 36 medalhas: foram 18 de ouro, nove de prata e nove de bronze. 
 
“É muito bacana ver a mulherada aumentando. Quando eu comecei a nadar pela Seleção, em 2011, a representação era bem menor e é muito bom ver as meninas novas entrando na Seleção, ver crescer o percentual de mulheres. Temos que renovar a equipe e ter as mulheres de igual para igual com os homens”, comentou a gaúcha Susana Schnarndorf, 51 anos, nadadora mais velha da equipe. 
 
Há menos de uma semana, os atletas brasileiros estavam em Lima, no Peru, onde disputaram os Jogos Parapan-Americanos. Vinte e cinco atletas que competirão no Mundial participaram da competição continental, realizada de 23 de agosto a 1º setembro. No Parapan de Lima, a modalidade contou com 40 nadadores, que conquistaram 127 medalhas, sendo 53 ouros, 45 pratas e 29 bronzes. A natação foi o esporte que mais contribuiu para a performance histórica do Brasil.
 
Outro aspecto de interesse da Seleção nacional que nadará na capital inglesa é o número de jovens com até 23 anos. São dez atletas com idade entre 19 a 23, que correspondem a 37% da equipe.
 
A paraense Lucilene Sousa, 19, faz parte desse grupo e fará sua estreia em Mundiais. “Participar do Parapan e vir ao Mundial logo em seguida é extraordinário. Era um sonho do meu pai me ver na Seleção de futebol, mas não consegui e estar aqui na Seleção de natação é realizar um sonho meu e dele. Estar em Londres, onde os melhores nadadores do mundo estão, é emocionante. Não tenho palavras para descrever."
 
Lucilene é uma dos cinco atletas da Seleção com deficiência visual. A maioria do time verde e amarelo tem deficiência física, equivalente a 63%. O restante da equipe possui deficiência intelectual, cinco atletas.
 
Confira o perfil dos atletas da Seleção Brasileira que participará do Mundial de Londres 2019
 
Cerca de 600 nadadores de 60 países são esperados na competição, que dá aos países a alocação de vagas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no próximo ano. Os atletas que ficarem entre os dois primeiros em suas respectivas provas garantem um lugar à sua nação na Paralimpíada. Cada nadador poderá acumular apenas um posto para o seu país. 
  
Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)


PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletirsmo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão